domingo, 3 de janeiro de 2010

Sem titulo

Ela olhava a chuva pela janela de seu quarto. Pensava em como queria sair e não voltar. Os gritos ecoavam pela casa, cada vez mais altos. Então sem pensar, calçou seu All Star e bateu a porta de seu quarto. Descendo as escadas os gritos ficavam mais pertos, mais altos.

Dando passos largos, abaixou a cabeça e limpou as lagrimas. Bateu a porta, Por um instante o silêncio permaneceu, mas logo foi quebrado por um grito forte, voz masculina. Pegou seu Skate e sem dar atenção saiu.
O vento secava suas lagrimas e esvoaçavam os cabelos negros. A chuva que batia no seu corpo limpava a sua alma aos poucos.
O seu corpo molhado não á incomodava. Largando o skate ajoelhou-se na areia escura por causa da chuva, e olhou o mar. As ondas estavam forte, imensas.
A vontade de entrar era muito forte, mas ela consegue se controlar. A chuva já havia passado e o pior agora era só voltar para casa.
Ela estava sozinha no meio do nada, chorando incontrolavelmente. Foi quando se levantou, correu para o mar e milagrosamente ele apareceu e a tirou de lá.
No meio da noite Vittoria acorda assustava com o barulho do trovão. As suas palavras ecoaram pelo quarto:
- Foi tão real...



Marcela Alves

4 comentários:

disse...

UI

Kim Sousa disse...

Vitória é uma garota um pouco atormentada, e meio emotiva demais...sei lá...acho que todos se tornam um pouco de Vitória se vivesse assim...

É, esse ano tem td para ser inesquecível e diferente, basta tentármos...ahah

Abração linda, até mais...

disse...

esses sonhos que parecem realidade... quando é bom dá até pena de acordar :P

é tão gostoso sair sem destino, até na chuva, sentir ela limpando seu corpo (:

beijão ;*

PorUmDiaEscritora disse...

sonhos nunca fizeram mal :)

beijinho**