quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Entrelaçada em um silêncio cortante que preenchia seu quarto, olhou as giletes que estava na mesinha de cabeceira junto à cama.
Como pode haver tanta dor em tão pequeno coração??
Sem nenhuma piedade de sua carne, passou de leve a gilete em um de seus pulsos e logo saiu-se o sangue como quem abre um enlatado.
E a noite terminou com sengue que foi colocado no chão e uma jovem exposta em seu quarto frio. Todos na pequena cidade diziam que a melancolia havia tomado conta de todo o seu ser. Havia tristeza de mais.

Marcela Alves

Um comentário:

Priscilla disse...

Querida, tens selinho no meu blog!
Passa lá!
Um grande beijo!