segunda-feira, 23 de janeiro de 2012



Deitará no chão gelado, de seu apartamento recém mobilhado.
Havia poeira e uma taça de vinho acompanhada de uma garrafa debruçada sob o chão. Rolava alguma coisa entra Bon Jovi e Bryan Adams.
Havia tristeza de mais, solidão espalhada pela casa. Pés descalços, A cabeça afundada em um travesseiro. A saudade estampada nas paredes, fotos pelo chão e porta retratos vazios.
Apenas uma frase ecoava por entre as paredes geladas do cortante inverno que faz em porto alegre: - Por Favor perdoe-me, eu não consigo parar de amar você.
Repetiu varias e varias vezes até cair no sono e se lembrar de que um dia tudo passa.
Marcela Alves


“Inconscientemente, parecia querer buscar em autores, filmes e musicas, algum tipo de consolo, como se alguém precisasse chegar bem perto do sofá, onde estava, colocar uma das mãos em seu ombro e dizer que aquilo era normal. Que acontecia também com outras pessoas e que iria passar.” – Caio Fernando Abreu

2 comentários:

Ives disse...

Olá, que dor poderosa essa, mas o tempo cura né, abraços

. Nadine disse...

Ual Marcela! Apesar da leve tristeza, o texto está lindo!
Me lembra muito coisa que eu já passei... Mas é isso aí, dizem que a gente tem que seguir em frente não é?! E um dia, conseguimos.

Beijo =*