quinta-feira, 2 de junho de 2011

“... De todos os abraços, o que eu nunca esqueci...”

Outra vez – Roberto Carlos

O que senti naquele abraço, eu não conseguirei resumir nestas modestas palavras que estou prestes a escrever.
Senti muito mais do que o calor do corpo dele, senti um consolo que vinha de sua mão afagando os meus cabelos negros, consolo este por ter tantas expectativas quebradas em uma noite tão esperada.
Na boca que dizia em meu ouvido “me de apenas um beijo”, senti mais do que a saudade que transbordava pelo cantinho dos lábios carnudos que ele tem.
No calor do abraço, no aperto das mãos, senti o que todo mundo quer sentir um dia. E ao soltar aquele corpo quente me entreguei à solidão novamente.



- Marcela Alves

Um comentário:

Luciana disse...

Hum..
Ha abracos que poderiam ser eternos neh Marcela.

e acabam sendo..
na memoria.